Galeria de Fotos

A solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo congregou muitos católicos em missas e procissões de fé, louvor e compromisso com o sacramento da Eucaristia, com ornamentação especial, principalmente os tradicionais tapetes no recinto das igrejas e pelas ruas, nesta quinta-feira, no dia 31 de maio (2018), mês dedicado a Maria. Em Erechim, foram 4 procissões de manhã e três de tarde. Às 9h, houve missa na igreja N. Sra. da Salette, Bairro Três Vendas, com procissão no seu entorno. No mesmo horário, missa nas igrejas São Cristóvão, N. Sra. Aparecida, Bairro Bela Vista e Catedral, das quais partiram procissões para o Santuário de Fátima, onde muitos fiéis participaram da missa e aguardaram a chegada das procissões para bênção com o Santíssimo Sacramento. Às 14h30, houve missa e procissão nas igrejas São Pedro e Santa Luzia, Bairro Atlântico. Às 15h, no Bairro Progresso. Dom José presidiu a missa na Catedral, concelebrada pelo Pároco e um padre do Centro Diocesano, com a participação de dois diáconos, religiosos e fiéis que lotaram o amplo espaço litúrgico. Depois da celebração, Dom José conduziu a Santa Hóstia na procissão até o Santuário, onde dirigiu sua mensagem a todos e deu a bênção com o Santíssimo Sacramento.

Bispo Diocesano de Erexim lembra Ano do Laicato e momento nacional nas cerimônias de Corpus Christi: Na homilia na Catedral e na mensagem no Santuário, quinta-feira, na missa e bênção da solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo, Dom José exortou os fiéis a alimentar a fé com o Pão da Vida, a Eucaristia, pela qual podem aprender a doar-se aos outros como Cristo. Convidou-os a se abandonarem a Deus, Pai misericordioso que acolhe com abraço de ternura e compaixão. Lembrou o contexto da celebração, o Ano Nacional do Laicato e o momento de incertezas e apreensões na realidade nacional. Para o Bispo, como peregrinos da esperança, todos caminharam com Cristo Eucarístico, que dá seu Corpo e Sangue na comunhão do altar. Comunhão que impulsiona a praticar a caridade, a ter compaixão pelos que padecem, a trabalhar para que a justiça e a paz frutifiquem em nosso país, e o nosso povo, já tão sofrido e machucado por tantas promessas e poucas realizações, não se deixe subjugar pela corrupção e pela violência que alimentam a ganância e o desprezo pela vida de muitos em benefício de poucos.