Galeria de Fotos

No último dia da novena de Fátima, romeiros renovam promessas batismais
Enfrentando vento bastante frio para a época do ano, muitos devotos de Maria participaram do último dia da novena de Fátima, na noite deste sábado, 13 de outubro, data da última das seis aparições de Nossa Senhora, em 1917, em Fátima, Portugal, que tiveram sua encenação no final da procissão, que foi luminosa.
A celebração foi presidida pelo Pe. Clair Favretto, reitor do Seminário Maior São José da Diocese de Erexim em Passo Fundo, concelebrada pelo Pe. André Lopes, Pároco da Paroquia da Paróquia da Salette, do Bairro Três Vendas de Erexim, que dirigiu a procissão com a participação dos seminaristas e do grupo de canto e música animado pelo Pe. José Carlos Sala.
O enfoque da conclusão da novena foi: “À luz do Batismo, cristãos leigos e leigas a serviço da vida e da paz”.
Na homilia, Pe. Clair lembrou a origem do Batismo, seus sete sinais e convidou a todos a renovarem os compromissos deste sacramento. Por ele, a pessoa é inserida na Igreja. Pela água, sinal central do rito litúrgico é purificada do pecado original e renasce para uma vida nova. Ungido com óleo, o batizado deve exalar o amor de Cristo e nunca o ódio ou pegar em armas. Pela vela acesa no círio pascal que lhe é entregue, recebe a luz de Cristo. A pitada de sal que lhe é colocada na língua indica que deve conservar a fé recebida e dar gosto à vida. Marcado com o sinal da cruz na fronte, deve ter Deus acima de tudo em sua vida. Estes sinais batismais inserem a pessoa na dimensão da salvação em Cristo. O Batismo tem sua plenitude na participação na Eucaristia. Por isso, Pe. Clair expressou desejo de que as celebrações eucarísticas da romaria fortaleçam a todos, a fim de que, à luz do Batismo, sejam promotores da vida e da paz. Concluiu sua reflexão, convidando os romeiros a renovar suas promessas batismais.
-------------------------------.
Íntegra da homilia do Pe. Clair
Última noite da novena de Fátima – 13/10/2018 – “A luz do Batismo, cristãos leigos e leigas a serviço da vida e da paz”
Queridos romeiros e romeiras. Estamos encerrando a nossa novena que nos prepara para celebrarmos com muita fé, amanhã, a romaria de Fátima. Mas acompanhando a manifestação dos devotos durante estes nove dias e nove noites, percebemos que a Romaria, de fato, já está acontecendo. Mesmo com chuva, a maioria não deixou de expressar a sua fé. Esta é a força propulsora do batismo, pois é o Sacramento que nos insere na missão de sermos discípulos de Jesus Cristo. Nesta noite o tema proposto para refletirmos é “à luz do batismo, cristãos leigos e leigas a serviço da vida e da paz. Assumimos esta noite a equipe da Pastoral do Batismo da nossa Diocese juntamente com os seminaristas maiores, isto é, os seminaristas da Filosofia e da Teologia do Seminário São José.
Já nos perguntamos o que mesmo significa o batismo? A palavra batismo, vem de outra palavra, palavra grega Bapto, que é do tempo de Homero (mais ou menos mil anos antes de Cristo), e que significa o mergulho do aço derretido dentro da água para esquentá-la. Daí surge a palavra Baptizo significando mergulhar, afogar. E é desta compreensão que surge o significado do batismo, isto é, significa a inserção, a entrada dentro da Igreja e, ao mesmo tempo, o afogamento, o sepultamento do pecado original. No dia do batismo, portanto, nós fomos sepultados do pecado, do velho Adão, e ressurgimos para uma vida nova, a vida na graça de Cristo.
Alguns sinais acompanham o ritual desta passagem. E o sinal central é justamente o da água. Foi ela que nos lavou, nos purificou. Quando Jesus foi batizado, ele não havia nenhum pecado para ser purificado. Mas Jesus santificou as águas para que a água batismal nos santificasse. Vejam romeiros e romeiras que o batismo nos torna santos. Porém durante a vida, se cairmos no pecado, Deus oferece o seu perdão através do Sacramento da Reconciliação. Ao sair do confessionário nós recuperamos a santidade original do batismo, portanto saímos santos do sacramento da confissão. E cada vez que formos à Igreja e realizarmos os ritos com água nós estamos recordando e buscando esta santidade originada no batismo.
Outro sinal importante é o óleo. Através dele fomos ungidos no Cristo e fomos perfumados com o óleo da Crisma manifestando este odor que devemos exalar como cristãos: o odor da vida e da paz que tanto foi já rezado nesta romaria. Um cristão não exala ódio, rancor, vingança... um cristão não pega em armas... um cristão exala caridade, amor fraterno e serviçal para os outros... a arma do cristão é o terço e nele se expressa a oração mariana que mais nos aproxima de Deus.
No batismo também recebemos a luz. Ela não foi buscada ou roubada. A vela do nosso batismo foi acesa no círio pascal, que recorda o Cristo ressuscitado, pelo nosso pai ou padrinho. Ao nos entregar a vela acesa eles professaram a sua fé naquela luz e seu desejo era para que nós pudéssemos ser luz do mundo como nos dizia o Evangelho de hoje. No dia do nosso batismo recebemos a luz de Cristo e, em Cristo, nós somos iluminados como bem se expressava São Paulo na primeira leitura de hoje.
No dia do batismo também a mãe colocou uma pitada de sal na nossa boca. O sal tem a função de dar gosto e conservar. No batismo assume este significado. Cada cristão deve conversar a fé recebida e dar gosto à vida. Um cristão deve mostrar que é bom ser cristão e dar gosto de cristão ao mundo. Por isso o lema desta romaria que também está dentro deste ano nacional do laicato. Cada cristão é sal da terra e luz do mundo, isto é, dá gosto e ilumina o mundo.
Dentro dos sete sinais do batismo quero recordar mais um: é o sinal da cruz. É o primeiro sinal recebido. No dia do batismo o padre nos marcou com este sinal e foi na fronte. É ali que fomos marcados no Cristo. Cada vez que traçamos sobre nós o sinal da cruz, recordamos e renovamos o nosso batismo. Ao traçar o sinal da cruz também recordamos que Deus está acima de nós, que somos guiados por ele. E o primeiro gesto é o Pai, lá onde fomos marcados. Depois fazemos referência ao Filho, colocando nossa mão sobre o peito. Isto mostra que no centro da nossa vida cristã está o Cristo. Por fim traçamos o sinal do Espírito Santo sobre os ombros manifestando que queremos viver a fraternidade, viver como irmãos e irmãs. Traçando o sinal da cruz sobre nossa fronte recordamos também que foi ela que salvou a humanidade. Que a cruz não é mais um sinal de morte, mas um sinal de vida porque Jesus ressuscitou e por este sinal professamos nossa fé no Cristo ressuscitado.
Convido a cada um dos presentes voltar-se para quem está perto e traçarem o sinal da cruz um na fronte do outro, recordando este sinal recebido no Batismo.
Os sinais do batismo nos colocam dentro da dinâmica da salvação. E cada vez, portanto, que traçamos o sinal da cruz sobre a fronte, acendemos uma vela, somos aspergidos ou tocamos na água para algum ritual, nós recordamos e renovamos o nosso batismo. Mas a plenitude do batismo se realiza na participação da Eucaristia. O batismo é plenificado através da Eucaristia, o sacramento que faz a Igreja e que dá força para a Igreja ser um sinal de Deus no mundo.
Que as celebrações eucarísticas que nós participamos nesta romaria nos fortaleçam para que, à luz do batismo, sejamos promotores da vida e da paz.
Hoje convido a renovarmos o nosso batismo. Você que está aqui nesta celebração ou que nos acompanha pelos meios de comunicação procure recordar o dia do seu batismo, lembra da Igreja na qual recebeu seu batismo, lembre dos seus padrinhos...
A pergunta é coletiva, mas a resposta é sempre pessoal, portanto a resposta é renuncio ou creio.
-  vocês renunciam à escravidão e a toda opressão?
- vocês renunciam ao egoísmo e à injustiça?
- vocês renunciam às ilusões deste mundo e às tentações do espírito maligno?
- Vocês creem em Deus Pai, que criou o céu e a terra, fez homem e mulher à sua imagem e semelhança e nos entregou o mundo para que cuidemos dele e vivamos na paz?
- Vocês creem em Jesus Cristo, Filho único de Deus, que foi concebido pelo poder do Espírito Santo, nasceu da Virgem Maria, se fez nosso irmão, deu sua vida por nós, ressuscitou e está junto do Pai?
Vocês creem no Espírito Santo, que nos reúne na comunhão da Igreja, nos comunica o perdão dos pecados e nos garante a ressurreição da carne e a vida eterna?
Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo.