Galeria de Fotos

Bispo nomeado da Diocese de Erexim recebe a ordenação episcopal

Na noite do dia 20 de junho (2020), na Catedral N. Sra. Aparecida de Cascavel, PR, Dom Mauro Aparecido dos Santos, Arcebispo local, conferiu a ordenação episcopal a Mons. Adimir Antonio Mazali, daquela Arquidiocese, nomeado Bispo da Diocese de Erexim pelo Papa Francisco no dia 15 de abril. Foram coordenantes, Dom Lúcio Baumgartner, Arcebispo emérito da mesma Arquidiocese, e Dom Nélio Domingos Zortéa, Bispo de Jataí, GO, juntamente com outros 11 Bispos. Participaram em torno de 60 padres e 4 diáconos, alguns seminaristas, algumas religiosas, familiares e convidados.

No contexto da pandemia do Coronavírus, com isolamento total em Cascavel, todos usaram máscaras e observaram distanciamento, com ocupação mínima da ampla Catedral.

Após as leituras, foi iniciado o rito de ordenação, com o canto de invocação ao Espírito Santo. Foram apresentados alguns dados da vida do ordenando, que tem mais de 27 anos de ministério presbiteral. O vigário geral da Arquidiocese, Pe. Reginei José Modola, solicitou ao Arcebispo que conferisse a ordenação episcopal ao eleito. O ordenante perguntou se possuía o mandato apostólico, pedindo a sua leitura.

Dom Mauro iniciou então a sua homilia, referindo-se à escolha de Jesus de seus apóstolos aos quais confiou a missão de anunciar o Evangelho até o fim dos tempos. Estes constituíram sucessores. Agora, Mons. Adimir foi escolhido para ser um deles. Não foi seleção ocasional ou casual. Não se apresentou e nem pediu para ser Bispo. Recordou o dia em que o Núncio Apostólico lhe pediu para comunicar a ele que o Papa o havia escolhido para Bispo e que esperava sua resposta. Como havia ensinado aos seminaristas que a vida de todos estava no plano de Deus e não deles, deu o seu sim generoso. Observou que não há diocese perfeita, nem presbitério ideal, nem modelo ideal de bispo. Ressaltou alguns aspectos da natureza e da missão do episcopado, especialmente de que é um serviço ao povo de Deus. Exortou a Diocese de Erexim, para a qual é enviado, a acolhê-lo com alegria e gratidão. Por fim, fez menção ao lema do ordenando, Sal da Terra e Luz do Mundo, e expressou gratidão a Deus pela sua vida e ministério na Arquidiocese até agora. (Em breve, íntegra da homilia)

Concluída a homilia, convidou Mons. Adimir a manifestar suas disposições para a ordenação através de diversas perguntas, respondidas com simplicidade e determinação. Foi cantada a ladainha de todos os santos, durante a qual o ordenando ficou prostrado ao chão, em sinal de sua entrega nas mãos de Deus.

Na sequência, deu-se o momento central do rito de ordenação episcopal, a imposição das mãos dos bispos sobre o ordenando, acompanhada por todos em profundo silêncio e a oração de ordenação.

Em continuidade, Dom Mauro ungiu a cabeça do novo Bispo e lhe entregou o livro do Evangelho, levado pelos padres assistentes, Pe. Claudir Vicente e Gustavo Luis Marmentini, e as insígnias episcopais, o anel, levado pela mãe, a mitra, pelo Pe. Mauro, vigário paroquial da Catedral, e o báculo pastoral, pelo Pe. Dirceu Balestrin. Evangelho, missão de pregar a Palavra de Deus e ser mestre da fé. Anel, união espiritual e compromisso com a Igreja. Mitra, a fortaleza e a salvação, vem do alto. Báculo, missão de guiar e orientar seu rebanho, a exemplo e em nome de Cristo Bom Pastor. Em sinal de acolhimento a ele no colégio episcopal, os bispos o saudaram com o gesto possível nas atuais normas de prevenção ao contágio da pandemia.

Seguiu-se a liturgia eucarística, após a qual Dom Adimir, conduzido pelos ordenantes, percorreu a igreja dando sua primeira bênção episcopal, durante a qual foi cantado o solene hino de louvor a Deus, chamado Te Deum.

Antes da conclusão da celebração, houve alguns pronunciamentos.

- o representante dos padres da Arquidiocese, Pe. Josemar Weizemann, expressou a alegria e a gratidão a Deus por mais um membro de seu presbitério ter sido escolhido para o episcopado. Desejou-lhe ministério fecundo e assegurou à Diocese de Erexim que está recebendo um grande presente de Deus, alguém muito próximo e disposto ao trabalho.

- O casal coordenador do Conselho Pastoral Paroquial da Catedral, Hélio e Cíntia Dalfofo, manifestou gratidão a Dom Adimir pelos 4 anos, três meses e 5 dias em que lá foi Pároco. Ressaltou seu dinamismo, atendendo a tantas ocupações paroquiais e a pastoral familiar na Arquidiocese e no Regional Sul 2 da CNBB. Disse. Citou o seu lema e disse entregar-lhe presentes, acompanhados de carinho e oração.

- O Prefeito de Anaí, município em que residem os familiares de Dom Adimir, que entregou placa do mais novo e ilustre cidadão da localidade.

- O Administrador Diocesano de Erexim, Pe. Antonio Valentini Neto, que convidou alguns representantes da Diocese presentes a estar junto dele, em nome de todos os outros presentes naquela Catedral ou acompanhando pelos meios de comunicação. Lembrou a Igreja Católica no Brasil estava concluindo a Semana Nacional do Migrante e a maioria dos brasileiros é descendente de migrantes europeus, africanos, asiáticos e outros. Do Sul do País, muitos migraram depois para Santa Catarina, Paraná e Estados do País. Os antepassados de Dom Adimir migraram de São Paulo para a região. Agora, ele enviado para a região de origem de muitos habitantes de Cascavel e arredores. A partir de seu nome, Adimir, desejou-lhe um admirável pastoreio na Diocese. Expressou-lhe a saudação e a acolhida carinhosa de todos os diocesanos, expressa nos dizeres de um banner apresentado a toda a assembleia litúrgica: Diocese de Erexim, feliz com Dom Adimir, saúda a Arquidiocese de Cascavel.

- O novo Bispo, Dom Adimir. Enfatizou que sua primeira mensagem como Bispo se resumia na palavra gratidão, a Deus pela vida, ministério e missão, a seus pais e irmãos, ao Arcebispo padres, diáconos, aos coordenantes e aos outros bispos presentes, aos ex-alunos, aos consagrados, seminaristas, lideranças e comunidades das Paróquias em que atuou, aos colegas professores e funcionários com os quais trabalhou nos centros de formação, à Pastoral Familiar. Assegurou à Diocese de Erexim que irá a ela para somar, dentro do objetivo do seu atual Plano da Ação Evangelizadora. Citou Santo Agostinho que dizia ao seu povo: convosco sou cristão, para vós sou bispo, assegurando a seus futuros diocesanos: convosco sou mais um irmão, com os quais quer ser sal e luz. (em breve, íntegra da mensagem)

Lida a ata da celebração, Dom Mauro deu a bênção final.

(Fotos, colaboração de Rochele Koraleski)

Arcebispos presentes, além de Dom Mauro e Dom Lúcio: Dom José Antonio Peruzzo, de Curitiba; Dom Jeremias Steinmetz, de Londrina, PR; Dom Anuar Battisti, emérito de Maringá, PR. Bispos presentes, além de Dom Nélio Domingos Zortéa: Dom Jose Gislon, de Caxias do Sul, RS, e Presidente do Regional Sul 3 da CNBB; Dom Bruno Eliseu Versari, de Campo Mourão, PR; Dom João Aparecido Bergamasco, de Corumbá, MS; Dom Edgar Xavier Ertl, Palmas-Francisco Beltrão, PR; Dom Sérgio de Deus Borges, Foz do Iguaçu, PR; Dom João Carlos Seneme, Toledo, PR; Dom Carlos José de Oliveira, Apucarana, PR; Dom João Mamede Filho, Umuarama, PR.

Representantes da Diocese de Erexim: leigos, João e Marinês Agnoletto, Tânia Madalosso, Rochele Koraleski; Mauro Kalinoski; Religiosa, Ir. Irma Maria Emer; seminaristas, Leonardo Fávero e Lincoln Poltronieri; diácono, Jacir Lechinski; padres, Alvise Follador, Anderson Faenello, André Ricardo Lopes, Antonio Valentini Neto, Cleocir Bonetti, Dirceu Balestrin, Edegar Passaglia, Jean Demboski, Lucas Stein, Maicon Malacarne, Paulo Cesar Bernardi.

---------------.

Íntegra da homilia de Dom Mauro

Ø  Excelentíssimos e Reverendíssimos Arcebispos e Bispos aqui presentes;

Ø  Reverendíssimos e amados Presbíteros e Diáconos. Estimados Religiosos e Religiosas e Seminaristas Diocesanos;

Ø  Excelentíssimo Senhor Pe. Antonio Valentini Neto – Administrador Diocesano de Erexim;

Ø  Excelentíssimas Autoridades Civis: Prefeito Municipal de Cascavel, Sr. Leonaldo Paranhos, aqui representado pelo Sr. Márcio Ribeiro e o Prefeito Municipal de Anahy, Sr. Carlos Reis e esposa, Sra. Leni Reis;

Ø  Queridos familiares e amigos do nosso ordenando;

Ø  Queridos irmãos e irmãs aqui presentes nesta Catedral Metropolitana de Cascavel e os que nos ouvem pela Rádio Colméia, pelas Rádios de Erechim – RS e os que nos assistem pelo Youtube e Facebook.

“Caminhando junto ao mar da Galileia, Jesus viu dois irmãos: Simão, chamado Pedro, e seu irmão André. Estavam lançando as redes ao mar, pois eram pescadores. Jesus lhes disse: “vinde após mim, e eu farei de vós pescadores de homens”. Então, imediatamente, eles deixaram as redes e o seguiram” (Mt 4,18-20).

“Jesus subiu à montanha e chamou os que ele mesmo quis; e foram até ele. Então constituiu doze para estarem com ele e para enviá-los a anunciar” (Mc 3, 13-14).

“Esta missão divina confiada por Cristo aos Apóstolos deverá durar até o fim dos séculos (Mt 28,20), já que o Evangelho que eles devem transmitir é para a Igreja em todo o tempo a fonte de toda a vida. Por isso, os apóstolos cuidaram de instituir sucessores nesta sociedade hierarquicamente ordenada” (LG nº. 20).

Monsenhor Adimir, Jesus escolhe os seus Apóstolos, após um momento profundo de oração com o Pai, e livremente quem Ele quis. Não se tratou de uma seleção casual e nem ocasional, mas muito bem pensada e meditada na oração. Nenhum se apresentou por si mesmo. Também nenhum pediu para ser escolhido Apóstolo. Assim se passou contigo. Você não escreveu ao Papa para ser Bispo. No dia 30 de março, segunda-feira, por volta das 9h, o Núncio Apostólico, Dom Giovanni D’Aniello, telefonou para mim e pediu-me para que entrasse em contato com você e comunicasse que o Papa Francisco escolheu-o para ser Bispo Diocesano de Erexim – RS. Chegando no Escritório Paroquial, encontrei-o atendendo seus paroquianos. Comuniquei-o da escolha. Quantas coisas passaram pela sua cabeça! Eu precisava da resposta para comunicar ao Núncio Apostólico. Você, que sempre disse aos seus formandos que o Plano de Vida pertence a Deus e não a vocês. Até que ouvi: aceito. Prontamente, liguei para o Núncio Apostólico, ficou muito feliz e disse para você, a divulgação será no dia 15 de abril às 12h de Roma, devendo ficar protegido pelo Segredo Pontifício até essa data. Que Quaresma! Que Semana Santa! Que Tríduo Pascal! Tudo em silêncio até o dia da divulgação.

Certamente surgiram muitos questionamentos sobre a Igreja que lhe foi confiada, seu presbitério, seu povo... o que esperam de mim... será que conseguirei corresponder com suas exigências?

Sabemos que não existe Diocese perfeita, clero perfeito, povo ideal... Sabemos, também, que não existe o Bispo de ouro que satisfaça a todos a quem ele é enviado. Conhecemos, graças a Deus melhor que os outros, as nossas limitações. Os desafios tornam-se, então, mais fortes e exigentes. Não há escola, não há parâmetros, não há modelo ideal para um Bispo novo. Cada um de nós é mais ou menos direcionado conforme suas experiências de vida e ministérios exercidos e os modelos concretos de Bispo que conheceu.

“para desempenhar tão elevadas funções, os Apóstolos foram enriquecidos por Cristo com especial efusão do Espírito Santo, que desceu sobre eles; e eles, pela imposição das mãos, entregaram a seus colaboradores esse dom espiritual (1Tm 4,14; 2Tm 1,6-7), que foi transmitido até vós na consagração episcopal. Então, o Santo Sínodo ensina que pela consagração episcopal se confere a plenitude do Sacramento da Ordem, que, tanto na tradição litúrgica da Igreja como na voz dos Santos Padres, é chamado de sumo sacerdócio e ápice do sagrado ministério. A consagração episcopal, porém, juntamente com o múnus de santificar, confere também os poderes de ensinar e de governar, mas que, por sua natureza, só podem ser exercidos em comunhão hierárquica com a Cabeça e os membros do Colégio” (LG 21).

Caríssimos irmãos e irmãs, acolhei com alegria e gratidão este nosso irmão, que nós Bispos, com a imposição das mãos, hoje associamos ao Colégio Episcopal. Recordai-vos das palavras de Jesus aos Apóstolos: “Quem vos ouve, ouve a mim, quem vos rejeita, rejeita a mim; e quem me rejeita, rejeita Aquele que me enviou”.

Monsenhor Adimir, reflita que foi escolhido entre os homens: não esqueça jamais as suas raízes; a sua mãe (Leonor Maggioni Mazali), seu pai que está na glória celestial (Mário Mazali) e seus irmãos: Dislei Aparecida e Odair Antonio (irmão gêmeo).

“Episcopado” é o nome de um serviço, não de uma honra, porque ao Bispo compete mais servir que dominar, segundo o mandamento do Mestre: “Aquele que entre vós é o maior, torne-se como o último, e o que governa seja como o servo”. O Bispo é servidor, pastor, pai, irmão, jamais um mercenário.

Ame com amor de pai e de irmão todos aqueles que Deus lhe confia. Em primeiro lugar, os presbíteros e os diáconos, seus colaboradores. O próximo, mais próximo, do Bispo são os sacerdotes e os diáconos. Quando o buscam possam encontrá-lo logo, sem burocracia: diretamente. Mas também seja próximo dos religiosos e religiosas, dos pobres, dos indefesos, peregrinos, imigrantes, doentes e idosos.

Você escolheu este Lema: “Sal da terra e luz do mundo”. Salgar e iluminar são duas ações próprias do discípulo de Jesus: com o sal, o discípulo enche de sabor as realidades deste mundo, não se permite cair no pessimismo da rotina insossa, mas a tempera com alegria e disposição. Sendo luz, o discípulo ilumina as consciências com o anúncio de Cristo, trazendo cor e vida a todas as realidades. É próprio de quem é luz cantar com a Igreja: “ó noite, ó trevas, ó nuvem, não mais fiqueis aqui, já surge a doce aurora, o Cristo vem, parti!”

Em nome da Igreja, particularmente desta Arquidiocese de Cascavel, que tanto ama, Deus seja louvado pelo seu sim e muito obrigado por tudo que fez por esta Arquidiocese. Estamos felizes, porque sabemos que nossa missão transcende um espaço geográfico e para onde vai, estará dando continuidade a sua missão, servindo a mesma Igreja de Cristo que tanto amamos.

Que Nossa Senhora Aparecida, padroeira de nossa Arquidiocese e São José, padroeiro da Diocese de Erexim, intercedam a Deus para que o seu ministério seja regado de amor e encanto, fecundo em bênçãos e graças.

Amém!

Dom Mauro Aparecido dos Santos

Arcebispo Metropolitano de Cascavel

--------------------------.

Agradecimento de Dom Adimir

            Minha saudação a todos os irmãos no episcopado, presbíteros, diáconos, consagrados e consagradas, seminaristas, familiares e leigos. Prefeito de Cascavel aqui representado e de Anahy.

Gostaria de manifestar meu sentimento em uma palavra: GRATIDÃO. Palavra simples, mas que expressa o reconhecimento de tudo o que temos e somos. Um olhar para história e a certeza de que não caminhamos sozinhos e o que somos e tudo o que fazemos é a soma de esforços de muitas mãos conhecidas e até desconhecidas.

1. Gratidão a Deus pelo dom da Vida. À minha mãe aqui presente e meu pai já com Deus pelo amor a mim sempre dedicado. Pelo dom da Vocação desde criança, mas amadurecida ao longo dos anos;

2. A todos os meus familiares, pelo carinho e pelo apoio em todos os momentos, particularmente minha irmã e meu irmão.

3. Gratidão aos senhores arcebispos, bispos, padres e diáconos que mesmo em meio a esta pandemia, não mediram esforços para aqui estar. De modo especial, gratidão a Dom Mauro pela confiança em mim depositada, que com grande carinho me deu apoio, me orientou e com alegria aceitou presidir esta ordenação (sou o quinto bispo que ele ordena), também em sua pessoa agradecer por tudo o que recebi ao longo destes mais de 27 anos de ministério nesta arquidiocese de Cascavel.

4. Ao Prefeito Municipal de Cascavel – Leonaldo Paranhos aqui representado pelo Sr. Márcio Ribeiro e de Anahy – Carlos Reis e esposa pela presença e apoio.

5. Gratidão a Dom Lúcio e Dom Nélio pela amizade e pela caminhada feita, ao longo de tantos anos, nas mais diversas situações do ministério e da vida, pelo companheirismo e partilha de vida.

6. Aos irmãos do presbitério da Arquidiocese de Cascavel pela amizade e convivência no ministério e também de outras dioceses, amigos com quem partilhamos a mesma causa e a mesma missão, muitos que foram formandos.

7. Gratidão aos consagrados e consagradas pelo testemunho de vida e especialmente a quem pude acompanhar na orientação de retiros e cursos de formação; Seminaristas com quem tive a alegria de conviver também durante as aulas até o ano passado;

8. ratidão a todas as lideranças e comunidades desta Arquidiocese, em especial das comunidades onde vivi meu ministério.

9. Aos colegas professores e funcionários da Famipar e todos que lá passaram como estudantes pela amizade, pelo aprendizado e crescimento partilhado;

10. Gratidão à Pastoral Familiar com quem tive a alegria de trabalhar nestes últimos anos e pela amizade construída, na Arquidiocese, no Regional junto com Dom Bruno, grande referencial desta Pastoral e também em algumas atividades com Dom Ricardo e equipe nacional. Muito obrigado pela oportunidade de aprendizado e crescimento neste trabalho.

11. Diocese de Erexim, aqui representada, pelo carinho manifestado desde a minha nomeação e todo o trabalho já realizado também em vista da posse dia 12 de julho; particularmente quero agradecer ao Pe. Antonio que tem partilhado as preocupações e a realidade da Diocese como administrador diocesano. Irei para somar na grande missão evangelizadora da Igreja Particular de Erexim, “a partir da escuta e da vivência da Palavra de Deus, alimentados pela Eucaristia, fortalecendo uma Igreja Diocesana de comunhão e participação, em saída, rumo à plenitude” (Objetivo geral). E parafraseando Santo Agostinho: “Para vós sou bispo, convosco sou cristão” digo, “Para vós sou bispo, convosco quero ser um irmão a somar na missão”.

12. Ao Monsenhor Reginei e à Comunidade da Catedral pela acolhida, dedicação e empenho na preparação desta ordenação; Equipe do CEP, CPP, Liturgia, Canto e outros.

13. A todos e a cada um, minha gratidão que será sempre expressa em minhas orações para que o Bom Deus lhes conceda saúde e paz. Mas ao concluir, tenho ainda a ousadia de fazer um pedido: rezem por mim e pelo ministério que ora acabo de assumir, para que eu tenha sempre um coração de pastor a exemplo do próprio Cristo, e que eu possa viver cada dia e em todos os lugares, o que expresso em meu lema presbiteral e agora também episcopal: Ser “Sal da terra e Luz do Mundo”. Amém!

---------------------------------.

Saudação do Representante do Clero de Cascavel

Saúdo nosso Arcebispo Dom Mauro; Arcebispo Emérito Dom Lúcio; Dom Nélio, bispo diocesano da Diocese de Jataí – GO. Saudando-os, saúdo os demais bispos presentes. Os irmãos no ministério presbiteral, diáconos, seminaristas, consagrados (as). Saúdo também as autoridades civis presentes e aos familiares de Dom Adimir.

            Hoje a Igreja particular de Cascavel alegra-se por mais um membro de seu presbitério ter sido escolhido e elevado ao ministério episcopal e rende graças a Deus pela vida e vocação de Dom Adimir. Em nome dos presbíteros de nossa Arquidiocese o parabenizamos e desejamos que seu ministério episcopal junto ao povo da Diocese de Erexim – RS seja fecundo. Permita-me ainda dizer, com as letras de seu nome, pelo qual podemos afirmar:

Acolheu o

Dom

Inspirador e

Missionário de

Ireneu para ensinar a

Riqueza da doutrina cristã.

            Santo Ireneu foi, antes de tudo, um homem de fé e pastor. Que ele seja seu intercessor, e que também possa encontrar inspiração no Bom Pastor para ser um epíscopo irrepreensível, vigilante, sóbrio, honesto, hospitaleiro e pronto a ensinar e a defender a verdadeira doutrina contra os ataques de ideologias que distorcem os valores do reino de Deus e possa expor com clareza a verdade da fé.

            Aos representantes da Diocese de Erexim posso dizer que vocês estão recebendo um grande presente de Deus, pois seu agora Bispo é um homem próximo e disposto para o trabalho.

            Concluo, citando uma frase que no tempo em que era professor e formador na teologia, ficou gravada em nós, quando o tempo não permitia concluir algum conteúdo: “Considere isto matéria dada”. E como dizia Santo Ireneu: “A glória de Deus é o homem vivo e a vida do homem é a visão de Deus”. Muito obrigado.

Pe. Josemar José Weizenmann