Galeria de Fotos

O cuidado e a promoção da família na segunda noite da novena de Fátima

A procissão e a missa da segunda noite da novena de Fátima, dia 03 de outubro, dentro do seu tema geral, “Com Maria, cuidar da vida e da saúde”, destacaram o cuidado e a promoção da família. A celebração foi presidida pelo Pe. Valtuir Bolzan, Pároco da Paróquia Imaculada Conceição, de Getúlio Vargas, acompanhado pelo Pe. Isalino Rodrigues, Pároco da Paróquia São Roque, de Itatiba do Sul, e assistente diocesano do movimento Encontro de Casais com Cristo. Pe. Giovani Momo, do Santuário, orientou a procissão e concelebrou a missa.

A procissão motorizada partiu da igreja N. Sra. Aparecida, Bairro Jabuticabal, Paróquia da Salette, Bairro Três Vendas, de Erechim, passando em frente ao Hospital Santa Terezinha e Clínica Santa Mônica.

Na homilia, Pe. Bolzan observou que a pandemia não impediu os devotos de Maria voltar o olhar e o coração a ela nesta novena com participação presencial restrita, mas com grande acompanhamento pelas redes sociais e por diversas rádios. Lembrou que Deus, por seu amor, nos criou à sua imagem e semelhança e nos fez sua família, na qual todos partilham alegrias, dificuldades, sofrimentos e tudo o que faz parte da vida de cada integrante. Destacou a sublimidade da família, santificada por Jesus Cristo na que nasceu e viveu na Sagrada Família de Nazaré. Alertou que a sociedade de hoje não promove a família; pelo contrário, agride-a constantemente. Porém, a família constituída sobre a rocha que é Jesus Cristo, conforme o evangelho da celebração, resiste a qualquer tempestade, a qualquer ataque. Por isso, Ele deve estar em primeiro lugar na família e não outras realidades. Exortou a cada integrante da família a ter a firmeza de Josué, conforme a leitura da missa, que, diante de muitos que abandonavam Deus, proclamou com determinação: “eu e minha família serviremos o Senhor”.

------------------------------.

Íntegra da homilia do Pe. Valtuir Bolzan

Em nome das famílias do ECC (Encontro de Casais com Cristo), saudamos todas as famílias e demais devotos de Nossa Senhora de Fátima, que estão rezando pelos meios virtuais. Com carinho saúdo as famílias do Bairro Jabuticabal, de onde saiu a procissão motorizada, passando pelo hospital Santa Terezinha e Santa Mônica, casas de saúde, que neste tempo de pandemia, trazem lembranças de dor e ou de cura a tantas famílias.

Nossa novena está acontecendo em meio à pandemia Covid-19. A mesma, não impediu que, mais uma vez pudéssemos voltar nosso olhar, nosso coração a Virgem Maria, a Mãe de Fátima que nesta noite, a segunda da novena, nos convida a cuidar da família.

Queridas famílias, o fato de sermos amados por Deus enche-nos de alegria. O amor humano encontra sua plenitude quando participa do amor divino.

Por causa deste Amor fomos criados a imagem e semelhança do criador. Somos sua família que nesta noite reza: Com Maria, cuidar da família. O amor nos leva a cuidar. Tem coisa melhor no mundo que chegar em casa e ter alguém te esperando? Alguém preocupado contigo, perguntando sobre o teu dia, tuas dificuldades, tuas perdas e tuas vitórias? Alguém sempre disposto, com um ombro amigo, pronto para te ouvir, te abraçar? Estas pessoas são: a minha, a tua, a nossa família: pai, mãe, irmãos, avô, avó, sobrinhos, filhos, netos, tios. Sem dúvida essas pessoas são importantíssimas na nossa vida.

Assim como foi importantíssimo a presença de José e Maria na vida de Jesus. Ele quis começar sua tarefa redentora no seio de uma família simples, normal. O lar onde nasceu foi a primeira realidade humana que Jesus santificou com sua presença. Deus quis se fazer humano para que toda família se torne, n’Ele, sagrada.

A sua família é muito sagrada para Deus, ela é sublime. Nada é mais importante para você do que a sua família. Lute, reze e esteja com a sua família, valorize a sua família acima de qualquer coisa. Nenhum amigo, nenhum trabalho, nenhuma conquista da vida é maior do que a conquista, o resgate e a salvação da família.

A nossa sociedade moderna não promove a família como família, pelo contrário, promove muitos ataques à família. E quem é que pode defender as nossas famílias? Aquele que veio salvá-la: Jesus, a rocha firme na qual devemos fundamentar os alicerces da vida familiar, como lembrou o Evangelho de Mateus.

 Por isso, no centro de nossas casas e das nossas famílias, Jesus precisa estar em primeiro lugar. Mas se você coloca a situação econômica, os valores materiais, o consumismo e tantas outras coisas, a sua família vai diluindo o valor sagrado que ela tem. Se você coloca os seus interesses em primeiro lugar, a sua família vai se dilacerando. Você precisa ser o Josué de sua família, com a firme convicção: “eu e minha família, nós serviremos ao senhor”. Em resposta, o povo, as famílias, assim se comprometeram: “Longe de nós abandonarmos o Senhor, para servir a deuses estranhos. Porque o Senhor, nosso Deus, ele mesmo, é quem nos tirou, a nós e a nossos pais, da terra do Egito, da casa da escravidão. Foi ele quem realizou esses grandes prodígios diante de nossos olhos, e nos guardou por todos os caminhos por onde peregrinamos, e no meio de todos os povos pelos quais passamos.” Da mesma forma devemos proceder em nossa família.

Servir ao Senhor é entregar a direção das nossas vidas, a direção de nossa família nas mãos do Senhor e dizer que não queremos mais ir para qualquer lado, mas ir para onde Deus quiser nos levar.

Coloquemos Jesus no centro de nossa família e de nossa casa, deixemo-lo morar em nossa família como Ele morou na família de Nazaré, no meio de Maria e de José. Jesus também quer estar na nossa casa.

O bem mais precioso e sacro que temos se chama: família. Precisamos cuidar bem da família. Por quê? Porque ela é uma pequena Igreja; é lugar de humanização e realização humana. Nela é que se aprende a ser gente, aprende-se o amor, a solidariedade, o diálogo, o respeito de uns pelos outros, a vida comum, o valor do trabalho honesto, o valor da verdade, da piedade e da paz. Aprende-se ou deve-se aprender a rezar e a amar a Deus com terno carinho. Na família também, nós fazemos as nossas primeiras experiências da Cruz de Nosso Senhor Jesus Cristo, pois é aí que choramos pela primeira vez, aí enfrentamos as primeiras crises e os primeiros sofrimentos, como a família de Nazaré! Nela, que aprendemos que o sofrimento, quando vivido na fé e em união com Cristo, torna-se fecundo, amadurece-nos, faz-nos crescer e nos dá a graça de participar da Paixão redentora do Senhor. Por isso, precisamos cuidar das nossas famílias, dar o melhor de nós para que elas sejam santas, iluminadas, abençoadas e benditas!

Pedimos a Sagrada Família de Nazaré: Jesus, Maria e José, que velem sobre todas as famílias e que nos esforcemos sinceramente para construir em nossa família um ambiente realmente de Igreja doméstica, que seja já agora um pedacinho do céu, daquele céu que esperamos, um dia, onde, com Maria sempre Virgem e com São José, contemplaremos eternamente o Cristo por nós nascido, que é Deus, com o Pai e o Espírito Santo. Amém.

                                                                                                                  Pe. Valtuir Bolzan.