Notícia

Denunciam que Cúpula da ONU sobre população atenta contra valores pró-vida

A poucos dias da 25ª Conferência Internacional das Nações Unidas sobre População e Desenvolvimento (ICPD25), que será realizada em Nairóbi (Quênia), representantes da Igreja Católica na África se uniram a outros líderes cristãos para expressar suas preocupações sobre a agenda do evento, que consideram destrutiva para os valores sobre a vida humana.

"Consideramos que essa conferência não é boa para nós, destrói a agenda da vida", advertiu o vice-presidente do Escritório Nacional da Vida Familiar sob a Conferência dos Bispos Católicos do Quênia (KCCB), Dom Alfred Rotich, à ACI África, agência do Grupo ACI.

“Serão cerca de 10 mil pessoas e sabemos que são partidários da agenda do aborto. Permitir que venham aqui é apoiar uma política errada”, acrescentou.

A cúpula em Nairóbi foi organizada para comemorar o 25º aniversário da ICPD, que começou no Cairo (Egito), onde mais de 170 governos adotaram um programa de ação para empoderar mulheres e meninas.

Cinco temas foram formulados para orientar a conferência de três dias patrocinada pelo Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA, na sigla em inglês), sendo o “acesso universal à saúde e os direitos sexuais e reprodutivos” o principal tema da lista.

O Arcebispo de Mombasa (Quênia), Dom Martin Kivuva, descreveu a agenda da ICPD25 como "inaceitável de acordo com os ensinamentos da Igreja Católica" e exortou o presidente Uhuru Kenyatta a desconfiar do fórum que está sendo organizado em seu país.

Dom Kivuva observou que "não é a primeira vez que um evento assim tem uma agenda oculta" e acrescentou que os organizadores estrangeiros da Cúpula da ONU em Nairóbi "nos dizem que somos pobres porque somos muitos. Isso é uma mentira! Somos pobres porque pegaram e ainda pegam nossos recursos. Veja a República Democrática do Congo, com todos os minerais, deveria ser o país mais rico”.

Para fazer oposição à agenda da conferência da ICPD25, o Fórum dos Profissionais Cristãos do Quênia (KCPF, na sigla em inglês), com o apoio dos Bispos Católicos no Quênia, organizou um debate paralelo programado de 11 e 14 de novembro.

Fonte: ACIDigital