Notícia

Diocese filipina atingida por tufão pede água potável 

A escassez absoluta de água limpa e potável aumenta os temores sobre a saúde, não apenas para os residentes, mas ainda mais para aqueles em abrigos

Pessoas ficam no telhado de um prédio depois que o tufão Vamco resultou em inundações severas na região do Vale Cagayan, nas Filipinas /Foto: Philippine Coast Guard/Handout

Uma diocese das Filipinas apelou para as pessoas que precisam desesperadamente de água limpa e potável após a passagem do tufão Vamco. A diocese de Ilagan na província de Cagayan, ao norte de Manila, precisa de água limpa depois que as enchentes submergiram grandes áreas após o vazamento de água de uma barragem próxima, de acordo com o periódico UCA News.

Água limpa e potável

As autoridades locais nas províncias de Cagayan e Isabela, nas Filipinas, consideram as recentes inundações nessas áreas como as piores que já vivenciaram em quatro décadas. Um dos fatores que mais contribuiu às enchentes, acreditam, foi o despejo de água da barragem de Magat, uma das maiores do país.

Um representante da represa de Magat disse que o grande volume de chuva trazido pelo tufão Vamco os forçou a abrir sete comportas para evitar que o reservatório transbordasse e possivelmente rompesse. A inundação por águas lamacentas resultou em uma queda no abastecimento de água potável na região. Muitos moradores, incluindo a população de 14 milhões de pessoas de Manila, estão sendo abastecidos por meio de um sistema rotativo de água.

De acordo com o padre Carlito Sarte, diretor do Centro Diocesano de Ação Social de Ilagan, o acesso à água potável continua sendo um desafio para muitas áreas nas províncias de Isabela e Cagayan. “Por favor, dê-nos água potável, pois a água disponível em nossa região não é segura para beber. Precisamos de água potável para milhares de Cagayanons [como são conhecidos os moradores da província] que se encontram em centros de evacuação”, disse. Na terça-feira, 17, o padre apelou aos postos de abastecimento de água de sua paróquia, na cidade de Santiago, para que doem água engarrafada.

A covid-19 e a higiene das mãos

O religioso também expressou preocupação de que a falta de água nos centros de evacuação e hospitais pode ajudar a espalhar o coronavírus. “Há também um problema de saúde envolvido aqui que pode surgir devido à falta de acesso a água limpa e segura, especialmente durante esta pandemia de coronavírus”, disse o padre.

O padre Sartre disse ainda que a higiene frequente das mãos é essencial para conter o vírus, inclusive em abrigos e centros de evacuação. “A situação ainda é difícil”, lamentou. “Você consegue passar alguns dias sem comida, mas não sem água. As pessoas precisam manter a higiene lavando as mãos para evitar a propagação do coronavírus. Precisamos muito de água”, acrescentou.

De acordo com o Departamento de Saúde do governo, os casos da Covid-19 nas Filipinas aumentaram devido a atrasos na transferência de amostras de teste para centros médicos devido a estradas danificadas e falta de energia.

Aumento no preço dos alimentos

Enquanto isso, os preços dos vegetais e da carne de porco na província de Isabela subiram, apesar do congelamento de preços imposto pelo governo nas áreas atingidas por fortes inundações. Os vendedores dizem que precisam comprar os vegetais por um preço mais alto de fornecedores de fora da região.

O secretário da Agricultura, William Dar, disse que o governo implementou um congelamento de preços nas commodities agrícolas e pesqueiras e bens essenciais básicos, especialmente nas áreas afetadas pelas enchentes. A Autoridade Alimentar Nacional também alocou assistência de arroz às comunidades afetadas.

A proximidade do Papa

O Papa Francisco expressou no domingo, 15, sua proximidade com o povo filipino após serem atingidos por uma série de tufões e tempestades devastadores. “Expresso minha solidariedade às famílias mais pobres, que também são as mais vulneráveis a esta calamidade”, disse o Santo Padre, expressando seu apoio ao trabalho de ajuda humanitária.

Seis ciclones atingiram as Filipinas em apenas quatro semanas, incluindo nesta lista o Vamco e o super tufão Goni, o mais poderoso do mundo este ano.

Fonte: Canção Nova