Notícia

Erechim recebe representantes da Pastoral da Juventude de todo o Brasil

Em torno de 120 pessoas entre jovens, assessores e bispos referenciais da Pastoral da Juventude dos 18 Regionais da CNBB participaram da Assembleia Nacional Ampliada da Pastoral da Juventude, nos dias 07 a 12 de janeiro, no Seminário e Santuário N. Sra. de Fátima de Erechim.

Esta assembleia acontece de 3 em 3 anos. Nela é feita a avaliação do triênio que se encerra, a projeção para o próximo e escolha de pessoas para animar e assessorar a Pastoral da Juventude no Brasil.

Guiadas/os pela passagem do Evangelho de João no qual Jesus pergunta aos apóstolos "Vocês têm algo para comer?", os participantes dessa assembleia contemplaram de modo especial o tempo jubilar dos 50 da Pastoral da Juventude no País e destacaram a sintonia com as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil.

No modelo sinodal, escutou as necessidades da juventude e buscou respostas mais eficazes para a evangelização dos jovens. A assembleia teve também análise da conjuntura latino-americana e mundial, refletindo os impactos dela sobre a vida da juventude.

A missa de abertura, no Santuário Nossa Senhora de Fátima, foi presidida por Dom Amilton Manoel da Silva, Bispo Auxiliar de Curitiba/PR e Membro da Comissão Episcopal da Pastoral Juvenil – CNBB. A missa de envio, no mesmo local, foi presidida por Dom Adelar Baruffi, Bispo Diocesano de Cruz Alta e Referencial da Juventude no Regional Sul 3 da CNBB, Rio Grande do Sul. 

Ao longo dos seis dias da Assembleia, a juventude avaliou o plano trienal 2017-2020, construído na cidade de Crato-CE e se despediu do secretário nacional Davi Rodrigues da Silva (Região Sul) e da Comissão Nacional de Assessoria do triênio, integrada pelo Pe. Maicon Malacarne (Região Sul), Francisco D'Almeida (Região Norte), Sylene Godoy (Região Sudeste), Ir. Tomelina Barbosa (Região Nordeste) e Nelson Filho (Região Oeste). 

Também foi tempo de planejar a caminhada e escolher novas pessoas para os diversos serviços. Por isso, em sintonia com o projeto do Jubileu dos 50 anos da PJ que em 2019 tinha como tema central as mulheres, em 2020, tem o mundo urbano, em 2021, terá os grupos de jovens, em 2022, a assessoria e em 2023, ano do jubileu, a defesa das Políticas Públicas de Juventude, a Assembleia escolheu, para o serviço da secretaria nacional, a jovem Verônica Michelle (Regional Nordeste 4). Para a comissão nacional de assessoria: Marcos Dantas (Regional Sul 1), Roberta Agostinho (Regional Sul 1), Jassiara Santos (Regional Leste 2), Luis Duarte Vieira (Regional Sul 4), Pe. Atenágoras (Regional Nordeste 1).

Os momentos de oração e partilha foram intensos, cheios de memória, muito cuidado e uma atenção aos espaços de construção da Pastoral, pensando em melhores condições para o serviço às juventudes, considerando os desafios da atualidade e com o olhar atento às bases.

Íntegra da homilia de Dom Amilton

Caros irmãos e irmãs, pejoteiros e pejoteiras!

- Que alegria estar com vocês neste início da Ampliada Nacional da Pastoral da Juventude (AN). Um marco na Igreja do Brasil, sobretudo quando tratamos do tema: Juventude. Uma parada importante nesta caminhada de 50 anos da Pastoral da Juventude do Brasil. Aprochega! Mais do que um jeito de falar destas terras, é a proximidade que nos torna cúmplices de uma nova história, uma proximidade que, neste momento nos enche gratidão, alegria e desejo de comprometimento maior com a vida. Aprochega! É a energia boa do encontro.

- “Vocês tem alguma coisa para comer?” O versículo iluminador de João, para esta Ampliada, creio que pode juntar-se à nossa pergunta ao Mestre: “Senhor, Tu que és o pão da vida, a eucaristia que nos alimenta, cria unidade e nos santifica na missão... o que poderemos acrescentar te oferecendo algum alimento?” Em se tratando de alimento, que tal esta pergunta também ao Senhor, para esquentar as nossas reflexões: “Mestre, onde, em que realidades juvenis queres que celebremos a Páscoa?”

- O Objetivo geral desta AN, deixa claro que não se trata de um simples encontro de pessoas que se simpatizam com uma etapa da vida (a juventude), mas os sujeitos: ação evangelizadora, sagrado feminino, 50 anos da PJ; os adjetivos: unidade na diversidade; os verbos: cuidar, revisar, organizar, apontar, fortalecer, somados ao alicerce da fé: seguimento de Jesus Cristo e as utopias: novos horizontes, esperança.... Realmente mostra que vocês não estão aqui para perder tempo! Parabéns! A PJ é um serviço à juventude.

- O Papa Francisco, nos brindou, no mês de março de 2019, com uma exortação para os jovens e para os que trabalham com os jovens: Christus Vivit. Me entristeço quando estou em meio às expressões juvenis e ao perguntar sobre a exortação, poucos dizem ter lido. Christus Vivit, traz palavras diretivas do Sínodo da Juventude (2018) e provocações da JMJ do Panamá, como sendo as mais urgentes preocupações do Papa com relação aos jovens. Quero, então, tomar do capítulo 4, apenas as três afirmações que o Papa chama de “o grande anúncio para os jovens” e apresentar como entendo este momento: Deus é amor!

- Essa é a missão principal da Igreja, anunciar o amor de Deus por nós. Santo Agostinho dizia que se de repente pusessem fogo em todas as Bíblias da terra e buscássemos entre as cinzas algo que pudéssemos expressar quem é Deus para as novas gerações e entre as cinzas encontrássemos este versículo da primeira carta de São João: Deus é amor! Toda a Bíblia e a imagem de Deus para as gerações vindouras. Creio que a PJ, nestes 50 anos, não tem feito outra coisa senão expressar que o amor consiste mais em obras que em palavras. Estes 50 anos têm sido uma história de amor, para construir a “Civilização do Amor”, através da construção do Reino de Deus na responsabilidade, no cuidado, no respeito, na luta pela justiça e por uma vida digna para todos. A comissão episcopal reconhece a beleza da identidade da PJ. Vocês formaram gerações de jovens, que hoje são grandes lideranças nas comunidades eclesiais. Ao virar a página e construir outros 50 anos fica o desafio: continuar sensíveis aos clamores do jovem, em comunhão com os passos da Igreja, já que a palavra Pastoral, vem de pastorear. Para que seja pastoral é preciso o reconhecimento dos pastores, isso dá sentido de comunhão, eclesialidade, sinodalidade e obediência. Unidade com um projeto comum, com uma Igreja que tem mais de dois mil anos e que já errou, mas também já acertou muito... e que precisa ser reformada. O Papa Francisco está aí nos ajudando, estamos juntos!

- A segundo anúncio é: Cristo te salva. Salvação aqui não está apontada apenas para a alma, mas na totalidade do ser humano que nos falou o C. Vaticano II, os documentos do CELAM, bem como todos os documentos que temos para a juventude. Trata-se de salvar a pessoa em todas as suas dimensões. Os eixos, que nortearam a PJ no último triênio e creio que já vem de um bom tempo e continuarão, como: espiritualidade, mística, articulação, ação... mostra a preocupação de vocês com esse “todo humano”, parabéns! Uma pesquisa antes do Sínodo, apontou que um grande número de jovens vê Jesus apenas como “motivador de boas ações” e não como Deus; o Papa tem nos alertado sobre um grupo de pessoas que tem aderido à Igreja apenas “como simpatizantes de Jesus”; outros ainda, diz ele, tem servido à Igreja como a uma ONG ou a um movimento humanista... Desafio: Não apenas para a PJ, ao construir outros 50 anos, mas para todas as expressões juvenis: mostrar a salvação, a vida eterna, como esperança maior do cristão, que começa na terra, onde tudo parte de Cristo e do evangelho, onde a intimidade com Deus pela oração pessoal e comunitária, a prática dos sacramentos, a leitura e escuta da Palavra de Deus, a prática da caridade, expressam a nossa identidade cristã católica. Tudo se soma e não se divide ou se polariza. Cristo foi o homem da oração por excelência, da intimidade com o Pai e da práxis libertadora. Somos seus discípulos!

- A terceira verdade que o Papa proclama é: Cristo vive e quer-te vivo! A VIDA tem sido o grito maior da Igreja ao longo desses 2000 anos, por isso tem sido reconhecida como a maior Instituição humanitária do planeta. Nesse meio século de existência, é visível o grito pela vida da PJ. Quantos jovens já foram salvos por vocês. No final da EG, o Papa diz: “Se você ajudar uma pessoa a ser melhor, já valeu o dom da sua vida”. A comissão episcopal reconhece o serviço da PJ, sobretudo com as minorias. Neste ano de 2019, que dor e que belo: a luta contra o feminicídio, a defesa das mulheres que sofrem violência de várias formas... Cristo vive e nos confia a missão de proteger a vida onde ela se encontra ameaçada, da concepção, até a morte natural. Abracemos juntos esta causa! Desafio para a PJ nos próximos 50 anos e para todas as expressões juvenis: a missionariedade. O Papa Francisco desde que assumiu o pontificado tem insistido na Igreja em saída, missionária: nos desafios da cultura urbana; na defesa do planeta, nossa Casa Comum; na busca de sentido, que tem levado muitos jovens à mutilação e ao suicídio; em meio a drogadição, junto aos encarcerados, que na sua maioria são jovens; nos novos areópagos da sociedade moderna.... Como ser missionário (a) nessas realidades, deixando modelos antigos e arriscando o novo com ousadia e criatividade, saindo de esquemas fechados?

- O caminho da Galileia não é fácil, mas é necessário percorre-lo. Se riscarmos a Galileia do mapa da vida cristã, faltarão discípulos, faltará seriedade com a religião e a prática da fé, estaremos negando a salvação, deixando vigorar a cultura da morte de Deus...

- Deus abençoe esse encontro, uma vez que Ele é o primeiro que se aprochegou. Que Maria, a jovem do sim comprometido, vos inspire nesses dias. Deixem o Espírito agir, uma vez que não são os vossos desejos e projetos que constroem o mundo novo, mas o Espírito Santo, que é o protagonista da história, Ele é que faz nova todas as coisas. Boa Ampliada Nacional para todos!

Dom Amilton Manoel da Silva, CP

Bispo Auxiliar de Curitiba- PR

Membro da Comissão Episcopal da Pastoral Juvenil - CNBB

--------------------------.

De 7 a 12 de janeiro de 2020 a Pastoral da Juventude do Brasil fez morada nas terras gaúchas de Erexim para viver, repensar o caminho e celebrar a história rumo aos 50 anos da PJ. Guiadas/os pelo evangelho de João no qual Jesus provoca "Vocês têm algo para comer?", jovens dos 18 regionais da CNBB juntamente com padres, religiosos, religiosas, assessores e assessoras leigas se reuniram no Seminário Nossa Senhora de Fátima. A missa de abertura foi celebrada no Santuário Nossa Senhora de Fátima pelo Bispo Auxiliar de Curitiba/PR e Membro da Comissão Episcopal da Pastoral Juvenil - CNBB, Dom Amilton Manoel da Silva e a missa de envio foi presidida por Dom Adelar Baruffi, Bispo Diocesano de Cruz Alta e Referencial da Juventude pelo Regional Sul 3 da CNBB. 

Ao longo dos seis dias a juventude avaliou plano trienal 2017-2020 que foi construído na cidade de Crato-CE e se despediu do secretário nacional Davi Rodrigues da Silva (região Sul) e da Comissão Nacional de Assessoria que durante os três anos foi composta pelo Pe. Maicon Malacarne (região Sul), Francisco D'Almeida (região Norte), Sylene Godoy (região Sudeste), Ir. Tomelina Barbosa (região Nordeste) e Nelson Filho (região Oeste). 

Também foi tempo de planejar a caminhada e escolher novas pessoas aos serviços. Por isso, em sintonia com o projeto do Jubileu dos 50 anos da PJ que em 2019 tinha como tema central as mulheres, em 2020 o mundo urbano, em 2021 os grupos de jovens, em 2022 a assessoria e em 2023, ano do jubileu, a defesa da Políticas Públicas de Juventude acolhemos ao serviço da secretaria nacional a jovem Verônica Michelle (regional Nordeste 4) e à comissão nacional de assessoria: Marcos Dantas (regional Sul 1), Roberta Agostinho (regional Sul 1), Jassiara Santos (regional Leste 2), Luis Duarte Vieira (regional Sul 4), Pe. Atenágoras (regional Nordeste 1).

Os momentos de reza e partilha foram intensos, cheios de memória, muito cuidado e uma atenção aos espaços de construção da Pastoral, pensando em melhores condições para o serviço às juventudes, considerando os desafios da atualidade e com o olhar atento às nossas bases.