Notícia

Exoneram 4 bispos falsamente acusados de sedição contra governo das Filipinas

O Departamento de Justiça das Filipinas exonerou quatro bispos das denúncias de conspiração contra o governo do atual presidente do país, Rodrigo Duterte, ao considerar que não há evidências.

Os bispos foram acusados ​​de "sedição" contra o governo, junto com mais de 30 advogados, religiosos e ativistas de direitos humanos.

Em entrevista à agência vaticana Fides, Dom Pablo Virgilio David, Bispo de Caloocan, norte de Manila (Filipinas), assinalou que está "feliz por um lado e triste por outro".

"Estou feliz que as acusações penais de sedição, incitação à sedição, obstrução da justiça e calúnias cibernéticas apresentadas contra mim e meus irmãos bispos tenham sido rejeitadas pelo colégio de juízes, que realizaram as investigações preliminares", afirmou Dom David.

Os acusados hoje exonerados são o Arcebispo de Lingayen-Dagupan, Dom Sócrates Villegas; o Bispo de Caloocan, Dom Pablo Virgilio David; o Bispo de Cubao, Dom Honesto Ongtioco; e o Bispo Emérito de Novaliches, Dom Teodoro Bacani.

No entanto, Dom David assinalou sua tristeza pela decisão de acusar dois sacerdotes, Pe. Albert Alejo e Pe. Flavie Villanueva, e outros nove por "conspiração para fins de sedição".

"Espero e rezo para que as acusações contra eles sejam desmentidas em breve pelos tribunais", disse.

A Conferência dos Bispos Católicos das Filipinas mostrou seu apoio aos acusados ​​e declarou que as acusações apresentadas visam assustar e silenciar os bispos.

O governo das Filipinas e a Igreja Católica

As medidas de luta contra as drogas, que causaram várias acusações de violação dos direitos humanos, causaram o confronto do governo das Filipinas com a Igreja Católica.

“Na 'guerra contra as drogas' de Duterte, mais de seis mil pessoas foram assassinadas em operações policiais, enquanto grupos de direitos humanos estimam a existência de outras 25 mil vítimas de assassinatos por 'esquadrões de vigilantes', que permanecem completamente impunes”, assinala Fides.

Além disso, Duterte atacou verbalmente com frequência os bispos católicos das Filipinas, passando a qualificar a Igreja como a instituição mais hipócrita e, inclusive, questionou a existência de Deus.

Fonte: ACIDigital