Notícia

Fátima: Simpósio Teológico-Pastoral quer refletir sobre o peregrinar

O eurodeputado Paulo Rangel, a escritora Lídia Jorge, o poeta José Rui Teixeira e a investigadora Helena Vilaça são alguns dos oradores do Simpósio Teológico-Pastoral «Fátima Hoje: que caminhos?», marcado para 21 a 23 de junho, em Fátima.

O sentido de peregrinar norteia a proposta do encontro, organizado pelo Santuário de Fátima, que se estende por três dias com a presença de investigadores nacionais e estrangeiros “convidados a olhar a humanidade peregrina” e a analisar os “desafios inerentes à condição de peregrino”, indica um comunicado enviado hoje à Agência ECCLESIA.

O primeiro dia seguirá a reflexão em torno da «condição de peregrino».

No segundo dia o tema em análise será sobre a «peregrinação a Fátima» com intervenções do diretor do Museu e do Departamento de Estudos do Santuário de Fátima, Marco Daniel Duarte, de Adrian Attard, da Academia Pontifícia Mariana Internacional, do padre José Manuel Pereira de Almeida, e do reitor do Santuário de Fátima, o Carlos Cabecinhas, segundo indica o comunicado.

Para o último dia do Simpósio estão previstas as participações do delegado para o ecumenismo da diocese de Mondoñedo-Ferrol, província eclesiástica de Santiago de Compostela, o padre Benito Mendez Fernandez, e do Frei Nunzio Capizzi, Professor da Pontifícia Universidade Gregoriana.

A nota realça ainda que está “agendado um serão cultural com o título «Exodus-Geometrias da Libertação»”, para a noite do dia 21, a partir das 21h00.

O tema do Simpósio insere-se na reflexão proposta pelo Santuário para o presente ano pastoral «Dar graças por peregrinar em Igreja», que se integra “no triénio 2017-2020, sob o tema «Tempo de Graça e Misericórdia».

De acordo com o Presidente da Comissão Organizadora do Simpósio, Marco Daniel Duarte, o peregrinar é uma metáfora para a vida humana, “desde o seu nascimento até ao óbito”.

“Entre as verdades que Fátima tem proclamado ao longo de um século está a de que o ser humano continua a exercer a sua condição de peregrino; mais: entre essas verdades está a de, a partir da Cova da Iria, se sublinhar que essa condição é, por ventura, a mais clarividente metáfora da própria vida humana”, assina o responsável.

O ato de peregrinar rumo a Fátima e fazê-lo em Igreja, estará também em análise.

“Fileiras de homens e mulheres que rumam ao Santuário de Fátima”, deslocando-se a pé, de carro, de mota ou de bicicleta, de avião ou de barco ou até de forma espiritual”, iniciando o seu itinerário em “polos de cultos dedicados à Virgem de Fátima espalhados pelo mundo”, concorrem para um fenómeno que Marco Daniel Duarte assinala como uma das imagens mais expressivas: “trilho luminoso e branco das procissões das velas e das procissões do adeus”.

Fonte: Agência Ecclesia