Notícia

Igreja no Iraque festeja dois novos sacerdotes

A Igreja Católica Caldeia tem suas origens na Igreja Oriental, também chamada na antiguidade de Igreja Persa, surgida na Mesopotâmia e fundada de acordo com a tradição do apóstolo São Tomás no primeiro século.

A Igreja Caldeia no Iraque ganhou dois novos sacerdotes na última sexta-feira, 17, com a ordenação de Hanna Jihad Issa e de Shamel Khidr Salim, em cerimônia co-presidida pelo patriarca caldeu, cardeal Louis Raphael I Sako, e que contou com a participação dos bispos auxiliares Dom Shlemon Warduni e Dom Basil Yaldo, dos bispos das Igrejas irmãs Mar Youssef Aba e Mar Elia Isaac, do encarregado de assuntos pontifícios, além de numerosos sacerdotes, monges, religiosas e fiéis leigos.

Jesus "é o nosso exemplo" enquanto sacerdotes e pastores, porque ele deu "a própria vida por seu rebanho". Cada bispo e padre "deve ser como ele, um pai afetuoso e bondoso, atento ao cuidado pastoral, assim como na sabedoria e na alegria", sublinhou o cardeal Sako na homilia da Missa celebrada na Igreja São José, em Bagdá. Um momento de alegria para uma comunidade cristã marcada - como o resto do país - pela violência e por “guerras por procuração”.

Dirigindo-se aos novos sacerdotes, o primaz da Igreja Caldeia convidou-os a "sempre seguirem" os passos de Cristo, esforçando-se em "viver o que pregamos". Somente assim - enfatizou o cardeal - é possível "criar confiança" nas pessoas. Por fim, recordou "a importância da oração que ilumina nosso caminho" e ajuda a superar "as dificuldades".

O cardeal Sako concluiu a celebração desejando aos novos sacerdotes um serviço frutífero e constante para a Igreja no Iraque, nas difíceis circunstâncias atuais.

Quem são os dois novos sacerdotes 

P. Shamel Khidr Salim

Nascido em Mosul em 29 de janeiro de 1995, tem uma irmã. Seus pais, como o resto da família, tiveram que deixar sua casa e suas terras em agosto de 2014 e fugir após a ascensão da facção estado islâmico. Eles encontraram refúgio em Ankawa, no Curdistão iraquiano, onde vivem ainda hoje. O novo sacerdote formou-se em Filosofia e Teologia no Pontifício Colégio da Babilônia. Estudou um ano na Itália, no mosteiro franciscano de Assis, entre setembro de 2018 e junho de 2019. Foi ordenado em 18 de outubro de 2019, também pelas mãos do patriarca Sako.

P. Hanna Jihad Issa

O padre Hanna nasceu em 8 de agosto de 1990, tem dois irmãos e quatro irmãs, além de seus pais. Ele se formou em Administração de Empresas pela Universidade de Dohuk no ano acadêmico de 2013-2014 e lecionou na Manchesh High School. O novo sacerdote participou do curso de Teologia nos anos 2009-2011 e pode se orgulhar de uma notável cultura pessoal. Ele também foi ordenado diácono em 18 de outubro pelo primaz da Igreja Caldeia.

A Igreja Caldeia 

A Igreja Católica Caldeia é uma Igreja Católica patriarcal sui iuris com comunidades no Oriente Médio, Europa, Oceania e América do Norte. O primaz é o patriarca de Babilônia, com sede em Bagdá; o atual patriarca é Louis Raphaël I Sako. Os fiéis são pouco mais de 600.000, dos quais cerca de 250.000 vivem no Iraque, onde representam a maioria dos fiéis cristãos.

A liturgia caldeia estabelece que a Missa seja quase inteiramente cantada, incluindo a leitura do Evangelho. O canto é tipicamente cantado e repetitivo, mas com um forte caráter sacral. A celebração pode ocorrer, dependendo das circunstâncias, em árabe e aramaico.

Na igreja, homens e mulheres são separados. Ao receber a Eucaristia, as mulheres que se aproximam do altar cobrem a cabeça com um véu.

Para celebrar as Missas de domingo,  os sacerdotes são obrigados a jejuar - comida e bebida - a partir da meia-noite de sábado.

A Igreja Católica Caldeia tem suas origens na Igreja Oriental, também chamada na antiguidade de Igreja Persa, surgida na Mesopotâmia e fundada de acordo com a tradição do apóstolo São Tomás no primeiro século. Em comunhão com a ecumene cristã até o século V, mais tarde dela se separou constituindo-se em uma Igreja ortodoxa e autocéfala com seu próprio patriarca, sua própria teologia, chamada nestorianismo e sua própria tradição litúrgica, o rito caldeu ou oriental da Síria.

A partir do século V, a Igreja Oriental foi organizada em províncias eclesiásticas, cada uma encabeçada por um metropolita, liderada pelo patriarca, que tinhasede na capital do império persa em Seleucia-Ctesiphon. Quando o império caiu nas mãos dos árabes (século VIII), a sede patriarcal foi transferida para Bagdá, a capital do califado abássida; no século XIV, os patriarcas por fim se transferiram para o norte da Mesopotâmia, nas montanhas do Curdistão.

Fonte: Vatican News