Notícia

Papa Francisco iria a Indonésia em setembro

O Papa Francisco viajaria à Indonésia, país majoritariamente muçulmano, Papua Nova Guiné e Timor Leste em setembro de 2020.

Embora o Vaticano não tenha feito o anúncio oficialmente, sabe-se que o Papa Francisco teria dado esta informação a Kyai Haji Yahya Cholil Staquf, um acadêmico muçulmano que é cofundador do movimento global “Humanitarian Islam”, que busca reformar esse credo para acabar com o ódio religioso.

Yahya Cholil também é o secretário geral da “Indonesia’s Nahdlatul Ulama” (NU), a maior organização islâmica do mundo, com mais de 50 milhões de membros. Na Indonésia, vivem mais de 259 milhões de pessoas, a grande maioria dos quais é muçulmana, constituindo 12,7% do total de membros desta religião.

O acadêmico muçulmano esteve em Roma recentemente para participar de um diálogo na Pontifícia Universidade Gregoriana, liderado pelo Cardeal Miguel Ayuso, presidente do Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso.

Do mesmo modo, nos dias 15 e 16 de janeiro, seis representantes cristãos, seis muçulmanos e seis judeus tiveram um encontro privado com Sam Bownback, encarregado norte-americano para a liberdade religiosa internacional.

O Timer Leste, um dos destinos que o Papa visitaria em setembro, é um dos países da Ásia, junto com Filipinas, onde a maioria da população é católica. Atualmente, cerca de 1,2 milhão de pessoas vivem nesta nação.

Papua Nova Guiné está na Oceania e tem a Indonésia como um de seus limites. Tem uma população de cerca de 7,5 milhões de pessoas. Embora a maioria se considere cristã, muitos também mantêm diversas tradições animistas que provêm das distintas tribos do país. Os católicos são aproximadamente 27% da população total.

Outros possíveis destinos do Santo Padre são o Sudão do Sul, país que o Pontífice assinalou em várias ocasiões como um lugar que deseja visitar, África do Sul e Etiópia.

Iraque, Montenegro e Sérvia, Chipre, Hungria e China também seriam outros países que poderia estar na agenda de viagens do Papa Francisco.

Fonte: ACIDigital