Voz da Diocese

Domingo da Palavra de Deus
20/01/2020

Domingo da Palavra de Deus

No dia 30 de setembro de 2019, Papa Francisco divulgou carta apostólica pela qual instituiu o “Domingo da Palavra de Deus”, a ser celebrado no 3º Domingo do Tempo Comum, neste ano no dia 26 deste de janeiro.

É oportuno observar que o fez no dia da festa de São Jerônimo (340-420), grande estudioso  da Bíblia. A pedido de São Dâmaso, Papa de 366 a 384, traduziu-a dos originais aramaico, hebraico e grego para a língua do povo no Império Romano, o latim, utilizado pela Igreja. Ficou conhecida como Vulgata, por ser tradução para a língua do povo. Significativo também que o fez no início da comemoração dos 1.600 anos da morte daquele santo, que dizia: “ignorar as Escrituras é ignorar Cristo”.

O Papa recorda que no final do Jubileu Extraordinário da Misericórdia, 2016,  pediu que se pensasse num “domingo dedicado inteiramente à Palavra de Deus, para compreender a riqueza inesgotável que provém daquele diálogo constante de Deus com o seu povo”. Por este domingo, a Igreja poderia reviver o gesto do Ressuscitado que abre, também para nós, o tesouro da sua Palavra, para podermos ser no mundo arautos desta riqueza inexaurível. A propósito, refere ensinamento de Santo Efrém, quem busca a riqueza da Sagrada Escritura é como o sedento que vai à fonte de água. A que consegue levar à boca com as mãos em concha é muito menos daquela que delas lhe cai.  

Francisco inicia o documento com a passagem do evangelho de São Lucas (24,49), resgistrando o encontro de Cristo Ressuscitado com os discípulos na tarde-noite do domingo de Páscoa, quando “lhes abriu o entendimento para compreenderem as Escrituras”, ssegundo as quais devia padecer e ressuscitar para a salvação de todos.

O Papa ressalta o impulso do Concílio Vaticano II para a redescoberta da Palavra de Deus com um dos doscumentos de caráter dogmático, a Dei Verbum. Cita também a Exortação Apostólica do Papa Bento XVI, intitulada Verbum Domini, a partir da Assembleia do Sínodo dos Bispos em 2008 sobre “A Palavra de Deus na vida e na missão da Igreja”. Refere-se à importância da homilia como grande recurso para ajudar as pessoas a captar a beleza da Palavra e a perceber como ilumina a sua vida. Alerta os sacerdotes, que tem a grande responsabilidade da homilia, sobre necessidade de se deterem a meditar e a rezar o texto sagrado afim de poderem falar com o coração para chegar ao coração das pessoas que escutam.

Na Carta, o Papa também aborda a estreita ligação entre a Escritura e a fé e entre ela e os sacramentos. Aprofunda a ação do Espírito Santo, seja na redação da Bíblia seja nas pessoas que se colocam à escuta da Palavra, conforme ensina o documento do Concílio sobre a Revelação divina: ela deve ser lida e interpretada com o mesmo Espírito com que foi escrita (Dei Verbum, 12). Lida assim, permanece sempre nova.

Francisco conclui sua carta desejando que o domingo dedicado à Palavra possa fazer crescer no povo de Deus uma religiosa e assídua familiaridade com as sagradas Escrituras, tal como ensinava o autor sagrado já nos tempos antigos: esta palavra “está muito perto de ti, na tua boca e no teu coração, para a praticares” (Dt 30, 14).

Pe. Antonio Valentini Neto – Administrador Diocesano de Erexim.

- Pe. Antonio Valentin Neto