Voz da Diocese

Minha saudação a todos os que acompanham a Voz da Diocese!
11/09/2022

Envio, mais uma vez, minha mensagem desde aqui da “Cidade Eterna”, Roma, Itália, no final do curso de formação oferecido aos novos Bispos de diversas partes do mundo. Curso este rico em conteúdo, como também de partilha e convivência fraterna, vivido na diversidade cultural.

No início da próxima semana, estarei de volta à Diocese de Erexim, levando a todos a saudação e a bênção apostólica de Papa Francisco, com quem nos encontramos na quinta-feira, dia 08 (oito) deste mês e a quem manifestamos a alegria e o sentimento de gratidão de todo o Povo da nossa Igreja Particular de Erexim.

Caríssimos Irmãos e Irmãs. Celebrando o 24º Domingo do Tempo Comum, colocamo-nos na presença de Deus para acolher a Sua Palavra, neste mês em que exaltamos a Bíblia Sagrada, dizendo a uma só voz: “O Senhor teu Deus estará contigo para onde quer que vás”, conforme nos indica a Profecia de Josué, em seu capítulo 1º, verso 9. Assim, na liturgia, deste domingo, somos convidados a reconhecer a misericórdia e a bondade de Deus, externados pelo amor misericordioso de Deus Pai, que acolhe nossas misérias e purifica-nos de nossos erros e pecados. Desta forma, a mensagem bíblica da liturgia deste domingo fala-nos da grande MISERICÓRDIA de Deus, que está sempre de braços abertos para acolher os pecadores arrependidos.

            Na primeira leitura, extraída do Livro do Êxodo, na infidelidade à Aliança e da ingratidão ante tantos benefícios recebidos de Deus, o povo de Deus cai no pecado da idolatria, adorando um bezerro de ouro. Assim sendo, Moisés intercede à misericordiosa bondade de Deus Iahweh, para que desista do mal que havia ameaçado fazer ao seu povo e lembra das promessas que fizera aos primeiros patriarcas da fé, Abraão, Isaac e Jacó. Este último, chamado mais tarde Israel. Nas fraquezas e infidelidades do povo, Deus nos revela seu infinito amor misericordioso.

            Na segunda leitura, da primeira carta de São Paulo a Timóteo, de um lado expõe-se a amarga experiência do pecado na vida do ser humano, e, de outro, a confiança na bondade e misericórdia de Cristo. Paulo recorda seu passado de perseguidor violento da Igreja, que, pela graça e misericórdia de Deus, revelados na grandeza do coração de Jesus Cristo, tornou-se o intrépido e criativo “Apóstolo das Gentes”.

            Prezados irmãos e irmãs, o capítulo 15 é o coração do Evangelho de Lucas, cujas parábolas são denominadas como parábolas da misericórdia: da ovelha perdida, a moeda extraviada e dos filhos, um desviado e outro recalcitrante. Todas elas ilustram a atitude misericordiosa de Deus para com os pecadores. Destaca-se, de outro modo, nessas parábolas, a alegria e a festa, pois foi encontrado o que estava perdido. A alegria é imensa, que precisa ser partilhada com os outros, como também festejar, pois tamanha é a felicidade do reencontro. Enfim, as parábolas da misericórdia nos revelam um Deus Pai, que ama a todos, sem acepção de pessoas.

            A passagem do filho pródigo é exatamente o retrato daquilo que muitas vezes vivenciamos: o amor de Deus está acima das misérias humanas. Jesus, “o rosto misericordioso do Pai”, tem lado, isto é, o lado de quem, mesmo pecador, arrepende-se pelo mal que fez, e retorna para a casa do Pai, ao regaço acolhedor do Senhor Deus, ganhando abraços e beijos, túnica nova, anel e sandálias, ou seja, o filho arrependido, que retornou, recebe acolhida e perdão, dignidade e vida nova, autoridade e liberdade de filho, assim como dantes.

            Eis, irmãos e irmãs, o convite proposto pela Palavra de Deus: reconhecer nossos pecados e fragilidades, deixando-nos inundar pelo amor misericordioso de Deus Pai. O amor de Deus é maior do que os nossos pecados. E mais, nossas transgressões não anulam o amor do Pai.

            Enfim, que nossas celebrações dominicais, com a mesa da Palavra e da Comunhão Eucarística, iluminem nossos caminhos, conduzindo-nos ao coração amoroso e misericordioso de Deus, a fim de sermos, também nós, misericordiosos com nossos irmãos que erram e se distanciam da comunidade dos filhos de Deus. Assim seja!

            Deus abençoe a todos. Bom domingo!

 

                                                                       + Dom Adimir Antonio Mazali

                                                                  Bispo Diocesano de Erexim

           

 

 

- Dom Adimir Antonio Mazali